Porque eles gostam tanto de fazer por trás. Especialistas explicam


Dor e o temor de estar em uma posição de excessiva submissão afugentam mulheres desse tipo de ato. Na internet é comum achar vários textos que prometem ajudar os homens a convencer suas parceiras a fazer.  Essa prática está no topo dos desejos mais frequentes deles. Mas afinal, por que eles gostam tanto de fazer isso? Para a psicóloga Carla Cecarello, a resposta aponta para três motivos principais, veja os principais motivos:

  • A sensação de domínio os agradam.
  • Existe a predileção nacional pelo bumbum
  • É apertadinho e proporciona maior praz3r no brinquedinho deles

Ele tem total controle da situação e isso o satisfaz: Como durante o ato a mulher evita se mexer muito, para não ter dor, praticamente todos os movimentos ficam por conta do parceiro. "Ele tem total controle da situação, isso dá a ele um poder nesse momento, que é algo bastante prazeroso".

Existem estudos que revelam que a prática tem se tornado cada vez mais comum. Até os anos 1990, entre 25% e 35% das mulheres e homens norte-americanos diziam já ter experimentado. Cerca de duas décadas depois, esses números aumentaram para 40% a 45%, dependendo da faixa etária, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde e Comportamento Seoxu4l, conduzida pela Universidade de Indiana, nos Estados Unidos.

No Brasil, esta prática é uma variação bastante apreciada. Em um levantamento realizado com 37 países, 18% dos brasileiros declararam praticar, enquanto a média mundial foi de 6%.

Apesar da popularidade, o tema ainda carrega preconceitos. "A prática é, provavelmente, o maior tabu existente em nossa sociedade. Para algumas pessoa é uma prática cruel e suja", diz o médico Celso Marzano.



E você, topa tudo na hora do "pega pra capar"? Se sim, confira nossas dicas para dar o cu sem medo. 


Na verdade, "dar o cu" deve causar prazer para ambos os lados. O ato não deve causar dor, machucar e nem prejudicar a região anal. Existem muitos curiosos sobre o assunto e alguns até tentaram penetrar o local, sem sucesso. 

1) Primeiramente você precisa ter vontade de fazer o ato e estar entorpecida de tesão:
Com vontade, desejo e tesão você conseguirá relaxar o corpo e o ânus para sentir prazer. Jamais faça para tentar agradar seu parceiro.

2) Entenda que seu rabicó não tem lubrificação própria como a vagina, então lubrificar bem é parte importante do processo.

Atenção, use lubrificantes específicos (de preferência a base de água) para o ato. Nada de inventar e tentar com cremes corporais, óleo de cozinha ou manteiga. Saliva? JAMAIS!

Não faça uso de anestésicos, pois se acontecer alguma catástrofe dentro do teu rabo você não conseguiria sentir, podendo sofrer lesões mais severas.

O que eu aconselho também é o gel dessensibilizante multifuncional vendido em sex shops, sabe? Esses diminuem a sensibilidade mas mantem o prazer e as sensações. Com isso é possível interromper o ato sexual sem se machucar.

3) Procure uma posição confortável: Comigo, ficar de ladinho ou de barriga para baixo com um travesseiro na barriga ajuda, pois empina o bumbum e permite relaxar o corpo e o ânus. Ficar de 4 não é uma boa ideia no inicio do aprendizado. Sim, você e seu parceiro vão ter que aprender JUNTOS. Ficar de 4 causa insegurança!


4) Relaxando o corpo todo: É necessário para evitar a liberação de adrenalina, que impede o corpo de sentir prazer sexual. A dica fatal nesta parte é respirar lenta e profundamente, e se entregar às sensações de prazer.

A dica mais importante de todas:  NUNCA esquecer a camisinha! O ânus absorve com mais facilidade as secreções contaminadas com vírus e bactérias. O pênis pode se contaminar com as bactérias da região, o que causa infecções. As infecções sexualmente transmissíveis (antigamente chamada “doenças sexualmente transmissíveis”) são também transmitidas pelo sexo anal.

Tecnologia do Blogger.